Skip to content

OVR: Art Basel Miami Beach 2020

Lygia Pape, Lygia Clark, Mira Schendel, Nelson Felix, Tunga e Paulo Pasta

2 - 6 de dezembro de 2020

Vista da mostra virtual Unfolding Matter para a OVR: Art Basel Miami Beach
Vista da mostra virtual Unfolding Matter para a OVR: Art Basel Miami Beach
Vista da mostra virtual Unfolding Matter para a OVR: Art Basel Miami Beach
Vista da mostra virtual Unfolding Matter para a OVR: Art Basel Miami Beach
Vista da mostra virtual Unfolding Matter para a OVR: Art Basel Miami Beach
Vista da mostra virtual Unfolding Matter para a OVR: Art Basel Miami Beach
Mira Schendel Sem título, Déc. 60
Lygia Clark Bicho linear, 1960
Lygia Pape Sem título, 1972
Nelson Felix Sem título, 2018
Tunga Sem título, 2008

Press Release

Para o OVR: Art Basel Miami Beach, a Galeria Millan apresenta a mostra virtual Unfolding Matter, que traz uma seleção de obras de seis artistas brasileiros: Lygia Clark, Lygia Pape e Mira Schendel – consideradas as artistas neoconcretas brasileiras de maior relevância tendo influenciado importantes artistas de gerações posteriores e cuja produção reverbera até os diais atuais – em diálogo com a produção de Nelson Felix, Tunga e Paulo Pasta. A conexão entre essas produções evidencia uma das diretrizes da Galeria Millan que é a de aproximar e propor relações entre artistas de diferentes gerações.

Tunga transita entre técnicas distintas nas quais absorve elementos orgânicos e morfológicos, trabalhando a abstração e a figuração e embrenhando-se nas camadas mais profundas da experiência sensorial humana, que vai do simbolismo sexual inconsciente à transformação da matéria em espírito. A essência de sua prática, assim como a de Lygia Clark, compreende uma pluralidade formal de ideias que se desdobram em diferentes composições e estruturas.

Já Nelson Felix, escultor e desenhista, inclui em suas obras elementos da natureza contrastados por objetos culturais e pela matéria escultórica, explorando sua iminente transubstanciação. Seu interesse volta-se para a interioridade das coisas e para as relações entre equilíbrio e instabilidade na construção de um espaço arquitetônico em que se instalam seus trabalhos. Sua prática emerge a partir da noção de que o corpo é potência, característica também presente na produção tanto de Tunga como de Lygia Clark. O corpo humano, a palavra e a linguagem, a poesia e a cartografia adquirem, na prática de Felix, uma dimensão plástica, revelando seus aspectos míticos ou simbólicos.

Paulo Pasta é pintor, desenhista e gravador e sua pesquisa se orienta pela construção da temporalidade na pintura. As cores e as formas em seus trabalhos parecem planificar a percepção da passagem do tempo. As formas e as geometrias representadas nas atmosferas espessas realizadas pelo artista são vagarosamente reconhecidas por um olhar atento do espectador. O artista desenvolve ainda suas pinturas por meio de muitas camadas de tinta óleo sobre tela e, assim como Mira Schendel, parte de um procedimento único, do rigor de execução em sequência e em torno do mesmo eixo para elaboração de trabalhos que fazem referência à temas universais e de caráter transcendental.

Visite nosso estande virtual na OVR: Art Basel Miami Beach